domingo, 31 de janeiro de 2010

A mente de Cristo - Capítulo 15 -

> Reconheça que a depressão rouba a vida e a luz.
Por isso, dentro de mim esmorece [e está oprimido] o meu espírito, e o coração[em meu peito] se vê turbado [e entorpecido].
Salmo 143.4
A depressão oprime a liberdade espiritual e o poder de uma pessoa.
Nosso espírito (fortalecido e encorajado pelo Espírito de Deus) é poderoso e livre. Portanto, Satanás procura oprimir esse poder e liberdade enchendo nossa mente com escuridão e sombra. Por favor, perceba que isso é vital para resistir o sentimento chamado "depressão" imediatamente após sentir sua chegada. Quanto mais lhe for permitido permanecer, mais difícil será resistir.
>Lembre-se dos bons tempos.
Lembro-me dos dias de outrora, penso em todos os teus feitos e considero nas obras das tuas mãos.
Salmo 143.5
Nesse versículo vemos a resposta do salmista à sua situação. Lembrar, meditar e refletir são funções da mente. Ele, obviamente, sabe que seus pensamentos afetarão seus sentimentos, então ele se toma ocupado pensando sobre coisas que o ajudarão a superar o ataque à sua mente.
>Louve ao Senhor em meio ao problema.
A ti levanto as mãos; a minha alma anseia por ti, como terra sedenta [anseia por água]. (Selá) pare e pense nisso calmamente]!
Salmo 143.6
O salmista conhece a importâcia do louvor; ele ergue as mãos em adoração. Ele declara qual é a verdadeiramente sua necessidade - ele precisa de Deus. apenas Deus pode fazê-lo sentir-se satisfeito.
Muito frequentemente, quando as pessoas ficam deprimidas é porque eles precisam de alguma coisa e procuram no lugar errado, o que apenas aumenta seus problemas.
Em Jeremias 2.13 o Senhor disse: Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.
Apenas Deus pode saciar uma alma sedenta. Não se engane pensando que qualquer coisa pode satisfazê-lo inteira e completamente. Correr atrás da coisa errada sempre o deixará desapontado, e o desapontamento abre a porta para a depressão.
>Peça a ajuda de Deus
Dá-te pressa Senhor, em responder-me; o espírito me desfalece; não me escondas a tua face, para que eu não me torne como os que baixam à cova (à sepultura).
Salmos 143.7
O salmista clama por ajuda. Ele está basicamente dizendo: "apressate, Senhor, porque eu não vou ser capaz de aguentar muito mais tempo sem Ti".
>Ouça o Senhor:
Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar; porque a ti elevo a minha alma.
Salmo 143.8
O salmista sabe que ele precisa ouvir ao Senhor. Ele precisa ser assegurado do amor e da bondade de Deus. Ele precisa da atenção e da direção de Deus.
>Ore por livramento.
Livra-me, Senhor, dos meus inimigos; pois em ti é que me refugio.
Salmo 143.9
Mais uma vez o salmista está declarando que apenas Deuspode ajudá-lo.
Por favor, observe que ao longo desse discurso ele está mantendo sua mente em Deus, não no problema.
>Busque sabedoria, conhecimento e liderança de Deus.
Ensina-me a fazer a sua vontade, pois tú es o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terreno plano.
Salmo 143.10
Talvez o salmista esteja indicando que ele havia saído da vontade de Deus e, tenha abeto a porta para o ataque à sua alma.
Ele quer estar na vontade de Deus porque ele agora percebe que esse é o único lugar seguro para estar, Então , ele pede a Deus que o ajude a se manter firme. Creio que esta frase, "Guia-me por terreno plano", refere-se às suas emoções vacilantes. Ele quer estar inabalável - não em altos e baixos.
O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer
´Continua capítulo 15

sábado, 30 de janeiro de 2010

A mente de Cristo - Capítulo 15 -



A MENTE DE CRISTO
Pois quem conheceu a mente [os conselhos e propósitos] do Senhor, que o possa [guiar e dar-lhe conhecimento e] instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo (o Messias) [e guardamos os pensamentos (sentimentos e propósitos) do seu coração].
1 Coríntios 2.16
Creio que agora você já tomou a firme decisão de escolher os pensamentos corretos, então vamos examinar os tipos de pensamentos que seriam considerados corretos de acordo com o Senhor. Há certamente muitos tipos de pensamentos que seriam considerados impensáveis a Jesus quando Ele estava na Terra. Se quisermos seguir seus passos, então precisamos começar a pensar como Ele pensava.
Neste instante você deve estar pensando; "Isso é impossível, Joyce, Jesus era perfeito. Eu posso ser capaz de melhorar minha forma de pensar, mas jamais serei capaz de pensar como Ele pensava".
Bem, a Bíblia nos diz que temos a mente de Cristo - e um novo coração e um novo espírito.
UM NOVO CORAÇÃO E UM NOVO ESPÍRITO
Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne.
Porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis.
Ezequiel 36.26-27
A mente de Cristo em nós é positiva; portanto, sempre que nos tornamos negativos, não estaremos operando com a mente de Cristo. Milhões de pessoas sofrem de depressão, e realmente não penso que seja possível alguém estar deprimido sem ser negativo - a menos que a causa seja médica. Mesmo nesse caso, ser negativo apenas aumentará o problema e os sintomas.
De acordo com o Salmo 3.3, Deus é a nossa glória e Aquele que levanta a nossa cabeça: Ele quer erguer tudo: nossas esperanças, nossas atitudes, nosso humor, nossa cabeça, nossas mãos e nosso coração - nossa vida inteira. Ele é nosso Levantador divino!
Deus quer nos levantar, e o diabo quer nos empurrar para baixo. Satanás usa os eventos negativos e as situações da nossa vida para nos deprimir. a definição do dicionário da palavra deprimir é "abater no espírito: ENTRISTECER". De acordo com o dicionário Webster, alguma coisa que está deprimida está "afundada abaixo da região circundante: VAZIO". Deprimir significa afundar, empurrar para baixo, ou manter abaixo do nível do solo. Regularmente, temos oportunidade de pensar negativamente, mas nossos pensamentos apenas nos afundarão ainda mais. Ser negativo não resolve nossos problemas, apenas se soma a eles.
SUPERE A DEPRESSÃO
O Salmo 143.3-10 dá uma descrição de depressão e de como superá-la. Vamos examinar essa passagem em detalhe para ver os passos que poderemos dar para superar esse ataque do inimigo:
>Identifique a natureza e a causa do problema.
Pois o inimigo me tem perseguido a alma; tem arrojado por terra a minha vida; tem me feito habitar na escuridão, como aqueles que morreram há muito.
Salmo 143.3
"Habitar na escuridão, como aqueles que morreram há muito" certamente me soa como uma descrição de alguém que está deprimido.
Observe que a origem dessa depressão, desse ataque à alma, é Satanás.
O Campo de Batalha de Mente
Joyce Meyer
Continua capítulo 15

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Uma mente passiva - Capítulo 14 - Continua



FIXE SUA MENTE NO QUE ESTÁ ACIMA


Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo [para uma nova vida, portanto compartilhando sua ressurreição dos mortos], buscai [e tende como obejetivo] as coisas [os tesouros ricos e eternos] lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus.

Pensai [fixai e mantende vossas mentes] nas coisas lá do alto [nas coisas mais elevadas], não nas que são aqui da terra.

Colossenses 3.1-2

Observamos outra vez o mesmo princípio: se você quer viver a vida ressurreta que Cristo porvidenciou, então busque essa vida nova e poderosa fixando sua mente nas coisas do alto, não nas coisas da terra.

O apóstolo Paulo está simplesmente dizendo que se queremos uma boa vida, então, devemos manter nossa mente em coisas boas.

Muitos crentes querem uma vida boa, mas estão passivvamente sentados desejando que alguma coisa boa lhe aconteça. Frequentemente eles têm ciúmes dos outroas que estão vivendo em vitória e se ressentem porque a vide deles é tão difícil.

Se você deseja vitória sobre seus problemas, se você verdadeiramente quer viver a vida ressurreta, você deve ter força de caráter e não apenas força-de-desejo! Você deve ser ativo - não passivo. Ação correta começa com pensamento correto. Não seja passivo em sua mente. Comecei hoje a escolher os pensamentos corretos.


O Campo de Batalha da Mente

Joyce Meyer

Final do capítulo 14











quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Uma mente passiva - Capítulo 14 - Continua



E não vos conformeis com este século [mundo, moldado e adaptado de acordo com seus costumes externos superficiais], mas transformai-vos pela [completa] renovação da vossa mente [por seus novos ideais e novas atitudes].

Romanos 12.2




Há um princípio dinâmico mostrado do começo ao fim na Palavra de Deus, e pessoa alguma jamais andará em vitória a menos que entenda e opere nele: a ação correta acompanha o pensar correto.

Deixe-me colocar de outra forma: você não modificará seu comportamento até que modifique seus pensamentos.

Na ordem das coisas de Deus, o pensar correto vem primeiro e a ação correta o segue. Creio que a ação certa ou o comportamento correto é "fruto" do pensar corretamente. Muitos crentes se desgastam tentando agir corretamente, mas o fruto não é produto de luta. O fruto vem como resultado de se permanecer na videira (João 15.4). E permanecer na videira envolve ser obediente (João 15.10).

Eu sempre uso Efésios 4.22-24 quando ensino esse princípio. O verso 22 diz:... vos despojeis do velho homem [desvesti-vos e jogai fora vosso velho e não-renovado eu que caracterizava vossa maneira anterior de vida e] que se corrompe segundo as concupiscências [e desejos que brotam] do engano [...]

O verso 24 continua o pensamento dizendo; [..] e vos revistais do novo homem [ou eu regenerado], criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

Assim vemos que o verso 22 basicamente nos diz para pararmos de agir inadequadamente e o verso 24 nos diz para começarmos a agir adequadamente. Mas o verso 23 é o que eu chamo de "ponte bíblica" Ele nos diz como ir no verso 22 (agindo inadequadamente) ao verso 24 (agindo adequadamente): ... e vos renoveis [constantemente] no espírito do vosso entendimento [da vossa mente, tendo uma nova atitude mental e espiritual].



É impossível ir de um comportamento errado a um comportamento corrento sem primeiro mudar os pensamentos. Uma pessoa passiva pode querer fazer a coisa certa, mas ela jamais conseguirá isso a menos que ative sua mente propositadamente e a alinhe com a Palavra e a vontade de Deus.

Um exemplo que me vem à amente envolve um homem que certa vez foi para a fila de oração em uma das minhas conferências. Ele tinha problema com a luxúria. Ele realmente amava sua esposa e não queria que seu casamento fosse destruído, mas seu problema precisava ser resolvido, ou ele arruinaria seu casamento.

"Joyce, eu tenho um problema com a luxúria", ele disse. "Parece que eu simplesmente não posso ficar longe de outras mulheres. Você pode oara para que eu seja liberto? Eu orei muitas vezes, mas parece que jamais conseguirei algum progresso".

Isso foi o que o Espírito Santo me ordenou que lhe dissesse: "Sim, eu vou orar por você, mas você deve ser responsável pelo que permite que lhe seja mostrado na tela da sua mente. Você não pode visualizar fotografias pornográficas em seu pensamento, ou imaginar-se com essas outras mulheres, se você quer desfrutar liberdade".

Como esse homem, outros vieram a perceber, imediatamente, por que eles não estava experimentando um progresso mesmo que quisessem ser libertos: eles querem mudar seu comportamento - mas não a sua maneira de pensar.

A mente é, frequentemente, uma área na qual as pessoas "brincam com o pecado". Jesus disse em Mateus 5.27-28: Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. O caminho para ações pecaminosas é pavimentado com pensamenteos pecaminosos.



Uma mulher que participou do meu primeiro Estudo Bíblico doméstico tinha entregado sua vida ao Senhor e queria que seu lar e seu casamento fossem consertados. Tudo em sua vida era uma bagunça - o lar, os filhos, as finanças, a condição física, etc. Ela disse abertamente que não amava seu marido; de fato, ela realmente o desprezava. Sabendo que sua atitude não era de Deus, ela queria amá-lo, mas simplesmente pareceia que não podia tolerar estar perto dele.

Nós oramos, ela orou, todos oraram! Compartilhamos a Escritura com ela e lhe demos fitas para ouvir. Fizemos tudo o que sabíamos e, embora ela parecesse estar seguindo nossos conselhos, ela não progredia. O que estava errado? Durante uma sessão de aconselhamento, foi revelado que ela havia sido uma sonhadora toda a sua vida. Ela estava sempre imaginando uma existência de conto de fadas na qual era a princesa e o príncipe vinha para a casa do trabalho com flores e doces, emocionando-a com sua devoção a ela.

Ela passava os dias pensando assim, e quando seu marido cansado, acima do peso, suado e sujo chegava em casa depois do trabalho (com um dente faltando), ela o desprezava.

Pense nessa situação por um momento. A mulher era nascida de novo e, ainda assim, sua vida estava uma bagunça. Ela queria obedecer a Deus e viver para Ele e também queria amar seu marido, porque sabia que essa era a vontade de Deus. Ela queria ter vitória em sua vida e em seu casamento, mas sua mente a estava derrotando.

Não havia como ela superar sua aversão por seu marido, até que ela começasse a operar com uma "mente sadia".

Ela estava vivendo mentalmente em um mundo que não existia e jamais existiria. Portanto estava inteiramente despreparada para lidar com a realidade. Ela tinha uma mente passiva e, uma vez que não estava escolhendo seus pensamentos de acordo com a Palavra de Deus, os espíritos maus injetaram pensamentos em sua mente.

Enquanto ela pensasse que era seus próprios pensamentos e tivesse prazer neles, jamais experimentaria vitória. Ela mudou sua forma de pensar, e sua vida co meçou a mudar. Ela mudou sua atitude mental em relação ao seu marido, e ele começou a mudar sua aparência e seu comportamento em relação a ela.


O Campo de Batalha da Mente

Joyce Meyer


Continua capítulo 14

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Uma mente passiva - Capítulo 14 - Continua



SUPERANDO A PASSIVIDADE
Há alguns anos, meu marido Dave teve alguns problemas com a passividade. Havia certas coisas em que ele era ativo. Ele ia trabalhar todo o dia, jogava golfe aos sábados e assistia ao futebol aos domingos. Além disso, era muito difícil motivá-lo a fazer qualquer outra coisa. Se eu precisasse de uma quatro pendurado na parede, poderia levar três ou quatro semanas para ter isso feito. Isso causava grande atrito entre nós. A mim parecia que ele fazia o que queria e que, além disso, não fazia nada.
Dave amava o Senhor e, quando ele O procurou a respeito do seu problema, ele o fez observar algumas informaçõs sobre a passividade e seus perigos. Ele descobriu que espíritos maus estavam por trás de sua inatividade. Havia certas áreas em que ele não tinha problemas porque havia mantido a vontade naquelas áreas, mas em outras áreas ele tinha basicamente, pela inatividade, entregue sua vontade ao inimigo. Ele era oprimido naquelas áreas e tinha se movido a um lugar onde ele não tinha qualquer desejo, qualquer "eu quero", nenhuma motivação para ajudá-lo a realizar certas atividades.
O estudo da Palavra de Deus e a oração eram duas outras áreas nas quais ele era passivo. Como eu sabia que ele não estava buscando a Deus por direcionamento, era-me difícil ouvi-lo. De qualquer forma eu tinha um problema de rebeldia, e você pode ver como o diabo usou nossas fraquezas contra nós mesmos. Muitas pessoas estão se divorciadas exatamente por causa de tais problemas. Elas realmente não entendem oq ue está errado.
Na verdade, eu era muito agressiva. Eu estava sempre correndo na frente de Deus, na carne, "fazendo minhas próprias coisas" e esperando que o Senhor as abençoasse. Dave não fazia muito, exeto esperar em Deus, o que me irritava seriamente, agora n ós rimos quando pensamos em como costunávamos ser, mas naquela época não era engraçado, e se Deus não tivesse chamado nossa atenção porderíamos ter sido mais uma daquelas estatísticas de divórcio.
Dave me dizia que eu estava sempre na frente de Deus, e eu respondia dizendo que ele estava dezesseis quilômetros atrás de Deus. Eu era muito agressiva, e Dave muito passivo.
Quando um crente está inativo em qualquer área em que ele tem capacidade ou talento, essa área particular começa atrofiar ou torna-se imobilizada. Quanto mais tempo ele não faz nada, menos ele quer fazer. Um dos melhores exemplos é o exercício físico.
Estou no momento em um bom programa de exercício e, quanto mais me exercito, mais fácil fica. Quando comecei era muito difícil. Doía cada vez que eu seguia o programa porque eu havia estado inativa e passiva no que diz respeito a exercício físico por um longo tempo. Quanto mais tempo eu não fazia nada eu não fazia nada, pior ficava a minha condição física. Eu estava ficando cada vez mais fraca, dada a não utilização dos meus músculos.
Dave começou a ver o que era o seu problema! Ele estava lidando com espíritos maus que estavam oprimindo por causa de sua inatividade de longo termo. Quando o Espírito Santo revelou-lhe a verdade, Dave determinou que ele seria outra vez ativo e agressivo, não preguiçoso ou procrastinador.
Tomar a decisão foi a parte mais fácil; colocá-la em ação foi a parte mais difícil. Era difícil porque cada uma das áreas em que ele havia sido passivo tinha agora de ser "exercitada" até que ficasse forte outra vez.
Ele começou a se levantar as 5 horas da manhã para ler a Palavra e orar antes de sair para o trabalho. A batalha começçou! O diabo não que abrir mão do terreno que ele já ganhou e não vai desistir da luta. Dave se levantava para passar um tempo com Deus e adormecia no sofá. Mesmo que houvesse manhãs em que adormecia, ele estava fazendo progresso simplesmente porque ele estava saindo da cama e tentando construir uma vida de oração.
Houve momentos em que ele ficou entediado. Havia dias em que ele sentia que não estava tendo nenhum progresso, em que, de qualquer forma, ele não estava entendendo o que estava lendo e sentindo que suas orações não estavam sendo ouvidas. Mas ele persistiu por causa da revelação do Espírito Santo sobre essa condição chamada "passividade".
Comecei a notar que, quando eu precisava que Dave pendurasse um quadro ou consertasse alguma coisa na casa, ele respondia imediatamente. Ele estava começando a ter seus próprios pensamentos outra vez e a tomar suas próprias decisões. Muitas vezes ele não tinha vontade de fazê-lo no seu natural. Mas ele ia além dos seus sentimentos e desejos carnais. Quanto mais ele agia em relação ao que sabia que era o correto, mais liberdade desfrutava.
Serei honesta e lhe direi que não foi fácil para ele. Ele não foi liberto em uns poucos dias ou umas poucas semanas. A passividade é uma das condições mais difíceis de ser superada porque, como mencionei, não há sentimentos para emprestar suporte.
Dave persistiu com a ajuda de Deus e agora ele não é nem um pouquinho passivo. Ele é o administrador de Vida na Palavra, supervisiona todos os nossos programas de rádio e televisão e é responsável por todos os aspectos financeiros dó ministério. Viaja comigo em tempo integral e toma decisões em relação aos nossos programas de viagem. É também um excelente homem de família. Ora e regularmente passa tempo estudando a Palavra de Deus. Em resumo, ele é um homem para ser respeitado e admirado.
Ele ainda joga golfe e assiste a esportes, mas agora ele também faz outras coisas que se espera que faça. Conhecendo-o e vendo tudo oque ele faz, ninguém pensaria que ele já foi tão passivo como era no passado.
A condição de passividade pode ser superada. Mas o primeiro passo para superar a passividade nas ações é superar a passivide na mente. Dave não poderia ter progresso até que tomasse a decisão e mudasse sua maneira de pensar.
O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer
Continua capítulo 14

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Uma mente passiva - Capítulo 14



O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento....

Oséias 4.6


Essa afirmação é certamente verdadeira no que diz respeito à área da passividade. A maioria dos cristãos não está nem mesmo familiarizada com o termo, tampouco sabem como reconhecer os sintomas.

Passividade é o oposto da atividade. É um problema perigoso porque a Palavra de Deus ensina claramente que devemos estar alertas, sóbrios e ativos (1 Pedro 5.8) - que devemos reavivar a chama e agitar o dom que há em nós (2 Timóteo 1.6).

Tenho lido várias definições da palavra "passividade" e a descrevo como ausência de desejo, apatia geral, indiferença e preguiça. Espíritos maus estão por trás da passividade. O diabo sabe que a inatividade, o insucesso para exercitar a vontade significará a completa derrota do crente. Enquanto uma pessoa está se movendo contra o diabo usando sua vontade para resistir-lhe, o inimigo não ganhará a guerra. Entretanto, se entrar em um estado de passividade, ela estará com sérios problemas.

Tantos crente são tão governados emocionalmente que qualquer ausência de sentimentos é tudo do que precisam para que parem de fazer o que foram ensinados a fazer. Eles louvam se sentirem vontade, doam se sentirem vontade, são fiéis ao que dizem se sentirem vontade - e, se não sentirem vontade, não fazem nada!


O ESPAÇO VAZIO É UM LUGAR!


...nem deus lugar ao diabo

Efésios 4.6


O lugar que damos á Satanás é frequentemente um espaço vazio. Uma mente vazia e passiva pode facilmente ser cheia com todos os tipos de pensamentos errados.

Um crente que tem uma mente passiva e que não resiste a esses pensamentos errados frequentemente os toma como seus próprios pensamentos. Ele não percebe que o espírito mau os injetou em sua mente porque havia espaço vazio lá para ser preenchido.

Uma forma de manter os pensamentos errados fora da mente é manter a mente cheia de pensamentos certos.O diabo pode ser lançado fora, mas ele vai e vagueia em lugares secos por uma temporada. Quando ele retorna para seu antigo lar e o encontra vazio, a Bíblia diz, em Lucas 11.24-26, que ele volta e traz outros demônios com ele, e a última condição da pessoa é pior do que a primeira. Por essa razão, jamais tentemos lançar fora um espírito mau de uma pessoa, a menos que ela tenha sido instruída a como "encher o espaço vazio".

Não estou dizendo que cada pessoa que tem um pensamento mau tenha um espírito mau. Mas um espírito mau está sempre por trás de pensamentos maus. Um indivíduo pode lançar fora conceitos repetidamente, mas eles voltarão imediatamente até que ele aprenda a preencher o espaço vazio com uma forma de pensar correta. Quando o inimigo retornar, ele, então, não encontrará lugar naquela pessoa.

Há pecados agressivos, ou pecados de execução, e há pecados passivos, que são pecados de omissão. Em outras palavras, há coisas erradas que fazemos e há coisas certas que não fazemos. Por exemplo, um relacionamento pode ser destruído por palavras irrefletidas, mas pode também ser destruído pela omissão de palavras bondosas de apreciação, que deveriam ter sido ditas, mas nunca o foram.

Uma pessoa passiva pensa que não está fazendo nada errado por que não está fazendo nada. Confrontada com seu erro, ela dirá: "Eu não fiz nada"! Sua análise é correta, mas seu comportamento não é. O problema surgiu precisamente porque ele não fez nada.


O Campo de Batalha da Mente

Joyce Meyer

Capítulo 14 - continua

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Uma mente julgadora, crítica e desconfiada - Cap.13


CONFIE EM DEUS COMPLETAMENTE
E NO HOMEM, DISCRETAMENTE
Estando ele em Jerusalém, durante a Festa da Páscoa, muitos, vendo os sinais [maravilhas e milagres] que ele fazia, creram no seu nome [identificaram-se com seu grupo].
Mas o próprio Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos [os homens].
E não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem [ele não precisava que ninguém lhe desse evidência sobre os homens], porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana [ele podia ler os corações dos homens].
João 2.23-25
Certa vez, depois que fui envolvida em uma situação desapontadora na igreja, Deus trouxe João 2.23-25 à minha atenção.
Essa passagem fala do relacionamento de Jesus com seus discípulos. Ela diz claramente que Ele não se confiava a eles. Ela não diz que ele suspeitava deles ou que não tinha confiaça neles; apenas explica que, como ele entendia a natureza humana (que nos todos temos), não se confiava a eles de forma desequilibrada.
Aprendi uma boa lição. Eu tinha sido machucada profundamente na situação da igreja porque eu tinha me envolvido demais com um grupo de senhoras e perdi o equilíbrio. Cada vez que perdemos o equilíbrio, abrimos a porta para o diabo.
A primeira carta de Pedro 5.8 diz: Sede [bem equilibrados] sóbrios [de mente] e vigilantes [e cautelosos em todas as ocasiões]. [Porque] o diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge [com fome selvagem] procurando alguém para [agarrar e] devorar.
Aprendi que estava me apoiando nas senhoras desse grupo e comlocando nelas uma confiança que pertence sómente a Deus. Só podemos ir até aí em qualquer relacionamento humano. Se formos além da sabedoria, problemas surgirão e seremos machucados.
Senpre coloque sua confiança completa no Senhor. Assim fazendo, abrirá a porta para o Espírito Santo deixá-lo saber quando você está cruzando a linha do equilíbrio.
Algumas pessoas acham que têm discernimento quando, na verdade, são apenas desconfiadas. Há um verdadeiro dom do Espírito chamado de discernimento de espíritos. (1Coríntios 12.10) Ele discerne o bom do mau, não apaenos o mau. A suspeita vem de uma mente não renovada; o discernimento vem de um espírito renovado.
Ore por dons verdadeiros - não por carne que se disfarça de dons do Espírito. O verdadeiro discernimento espiritual porvicará oração, não fofoca. Se um problema genuíno está sendo discernido por um dom verdadeiro, esse seguirá o padrõa divino para lidar com aquele, não formas carnais que apenas espalha e aumentam o problema.
PALAVRAS DOCES, AGRADÁVEIS E CURATIVAS
O coração do sábio é mestre de sua boca e aumenta [o conhecimento e] a persuasão nos seus lábios.
Palavras agradáveis sao como favo de mel: doces para a alma medicina para o corpo.
Provérbio 16.23-24
Palavras e pensamentos são como ossos e medula - tão próximo que é difícil dividí-los (Hebreus 4.12)
Nossos pensamentos são palavras silenciosas que apenas nós e o Senhor ouvimos, mas tais palavras afetam nosso homem interior, nossa saúde, nossa alegria e nossa atutude. As coisas que frequentemente pensamos saem da nossa boca. E, é triste dizer, algumas vezes elas nos fazem parecer tolos. Julgamento, crítica e suspeita nunca trazem alegria.
Jesus disse que ele veio para que tivéssemos e desfrutássemos a vida (João 10.10). Comece a operar na mente de Cristo e você penetrará num novo estado de vida.

O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer
Fim do capítulo 13

domingo, 24 de janeiro de 2010

Uma mente julgadora, crítica e desconfiada - Cap.13


GUARDE O SEU CORAÇÃO
Sobre tudo o que se deve guardar, guarda [e cuida com toda a vigilância] o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.
Provérbios 4.23
Se você quer vida fluindo para você e de você, guarde seu coração.
Certos tipos de pensamentos são "impensáveis" para um crente - julgamento e crítica entre eles. Todas as coisas que Deus tenta nos ensinar são para nosso próprio bem e felicidade. Seguir o caminho de Deus traz fecundidade; seguir o caminho do diabo traz decadência.
SUSPEITE DA SUSPEITA
[O amor][...] tudo suporta[sob qualquer coisa e tudo que venha, está sempre pronto a acreditar no melhor de cada pessoa].
1 Coríntios 13.7
Posso dizer honestamente que a obediência a esta passagem tem sempre sido um desafio para mim. Fui criada para ser desconfiada. Na verdade, fui ensinada a desconfiar de todos, especialmente se eles fingissem ser bons, porque devem estar querendo alguma coisa.
Além de ser ensinada a desconfiar dos outros e dos seus motivos, tive várias experiências desapontadoras com pessoas não apenas antes de ter me tornado uma cristã ativa, mas depois disso também. Meditar nos componentes do amor e perceber que o amor sempre espera o melhor tem me ajudado grandemente a desenvolver uma nova forma de pensar.
Quando a sua mente for envenenada ou quando Satanás ganhar fortalezas em sua mente, ele precisa ser renovada de acordo com a Palavra de Deus. Isso é feito aprendendo-se a Palavra e meditando (refletindo sobre ela, murmurando-a para você mesmo, pensando) nela.
Nós temos o maravilhoso Espírito Santo em nós para nos lembrar quando nossos pensamentos estiverem inda na direção errada. Deus faz isso por mim quando estou tendo pensamentos de desconfiança em vez de pensamentos amorosos. O homem natural pensa: "Se eu confiar nas pessoas, elas se aproveitarão de mim". Talvez, mas os benefícios superam de longe quaiquer experiências negativas.
Confiança e fé trazem alegria à vida e ajudam os relacionamentos a crescer até seu potencial máximo.
A suspeita mutila um relacionamento e geralmente o destrói.
A coisa mais importante a considerar é esta - os caminhos de Deus funcionam; os caminhos do homem, não. Deus condena o julgamento, a crítica e a suspeita, e da mesma maneira nós deveríamos fazê-lo. Ame o que Deus ama, odeie o que Deus odeia. Permita o que ele permite e rejeite o que ele rejeite.
Uma atitude equilibrada é sempre a melhor política. Isso não significa que não devemos usar sabedoria e discernimento em nossa conduta com os outros. Não precisamos abri nossa vida a cada pessoa que encontrarmos, danda a cada uma a chance de nos triturar. Por outro lado, não precisamos olhar para todo mundo com um olhar negativo e suspeito, sempre esperando que os outros se aproveitarão de nós.
O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer
Continua o Capítulo 13

sábado, 23 de janeiro de 2010

Uma mente julgadora, crítica e desconfiada - Cap.13





AMAI-VOS UNS AOS OUTROS



Não deis aos cães o que é santo [as coisas sagradas], nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os pés e, voltando-se, vos dilacerem.

Mateus 7.6



Creio que essa passagem biblica está se referindo à nossa habilidade dada por Deus para amar uns aos outros.

Temos uma habilidade e uma ordem de Deus para nos amarmos uns aos outros, mas em vez disso os julgamos e criticamos, tomamos algo santo (amor) e o jogamos para os cães e os porcos (espíritos demoníacos). Abrimos as portas para que eles sapateiem sobre as coisas santas e voltem e nos rasguem em pedaços.

Precisamos entender que "a caminhada do amor" é proteção para nós contra os ataques demoníacos. Não acredito que o diabo possa fazer muito mal a alguém que realmente anda em amor.

Quando fiquei grávida do nosso quarto filho, eu era uma cristã, batizada com o Espírito Santo, chamada para o ministério e uma diligente estudante da Bíblia. Havia aprendido a exercitar minha fé para a cura. Entretanto, durante os três primeiros meses de gravidez, fiquei com muito, muito enjôo. Perdi peso e energia. Passava a maior parte do meu tempo no sofá, nauseada e tão cansada que quase não podia me mexer.

A situação estava realmente me confundindo, uma vez que havia passado maravilhosamente bem durante minhas três outras gestações. Embora eu fosse à igreja, não conhecia muito da palavra de Deus, então, não usava a minha fé ativamente para nada. Agora, estava muito familiarizada com as promessas de Deus e mesmo assim estava doente - e nem mesmo muitas orações a Deus e repreensão ao diabo estavam removendo o problema.

Um dia, enquanto estava na cama ouvindo meu marido e meus filhos se divertindo no pátio atrás da casa, perguntei a Deus agressivamente: "O que está errado comigo? Por que estou tão enjoada? E por que não estou melhorando?"

O Espírito Santo me moveu a ler Mateus 7.1 (Não julgueis para não serem julgados) Perguntei ao Senhor o que aquela passagem tinha a ver com a minha saúde. Continuei sentindo que deveria lê-la de novo e de novo. Finalmente Deus abriu minha memória para um evento que havia acontecido dois anos antes.

Eu havia dirigido um estudo bíblico doméstico ao qual compareceu uma jovem senhora a quem chamaremos de Jane. Jane frequentou o curso fielmente até que engravidou, mas então se tornou difícil para ela comparecer regularmente porque estava sempre cansada e se sentindo mal.

Enquanto estava deitada naquele dia, lembrei-me de que outra "irmã cristã" e eu tínhamos conversado sobre Jane, julgado-a e criticando-a porque ela não se esforçava nas suas circuntâncias e não era diligente em vir ao estudo bíblico. Jamais nos oferecemos para ajudá-la de qualquer maneira. Apenas formamos uma opinião de que ela era uma fraca e estava usando a gravidez como desculpa para ser preguiçosa e auto-indulgente.

Agora eu estava nas mesmas condições de Jane dois anos antes. Deus me mostrou que, embora eu tivesse sido saudável durante minhas primeiras três gestações, tinha aberto uma imensa porta para o diabo pelo meu julgamento e crítica. Eu tinha tomado minhas pérolas, a coisa santa (minha habilidade de amar Jane), jogado aos cães e porcos, e agora eles tinham voltado e estavam me rasgando em pedaços. Posso dizer-lhe, fui bastante rápida em me arrepender. Assim que o fiz, minha saúde foi restaurada e passei muito bem durante o tempo restante da minha gravidez.

Desse incidente aprendi uma importante lição sobre os perigos de julgar e criticar os outros. Gostaria de poder dizer que depois daquela experiência jamais cometi outro erro daquela natureza, mas sinto dizer que tenho cometido muitos e muitos erros desde então. Cada vez Deus tem precisado tratar comigo, pelo que Lhe sou agradecida.

Nós todos cometemos erros. Nós todos temos nossas fraquezas. A Bíblia diz que não devemos te um coração duro, um espírito crítico de uns para com os outros, mas em vez disso devemos nos perdoar uns aos outros, e mostrar misericórdia uns para com os outros, da mesma forma que Deus, por amor a Cristo, tem feito por nós (Efésios 4.32).



JULGAR TRAZ CONDENAÇÃO



Portanto, és indesculpável [não tens desculpa ou defesa ou justificação], ó homem, quando julgas, quem quer que sejas; porque, no que julgas [ e passas senteça] o outro, a ti mesmo te condenas; pois [tu que julgas habitualmente] praticas as próprias coisas que condenas [e censuras e denuncias].

Romanos 2.1



Em outras palavras, nós fazemos exatamente as mesmas coisas pelas quais julgamos ou outros.

O Senhor deu-me um exemplo muito bo, certa vez para ajudar-me a entender esse princípio. Eu estava ponderando por que nós mesmo fazíamos alguma coisa e achávamos perfeitamente correto, mas julgávamos alguém que o fizesse. Ele disse: "Joyce: você se olha com óculos cor-de-rosa, mas olha para todos os outros com lentes de aumento".

Nós nos desculpamos por nosso comportamento, mas, quando alguém faz a mesma coisa que fazemos, frequentemente não mostramos misericórdia. Fazer aos outros o que queremos que eles nos façam (Mateus 7.12) é um bom princípio para a vida, o qual, se seguido, evitará muito julgamento e crítica.

Uma mente julgadora é uma ramo de uma mente negativa - pensar sobre o que está errado com alguém em vez de pensar no que está certo.

Seja positivo, e não negativo!

Os outros se bebeficiarão, mas você se beneficiará mais do que qualquer um.



O Campo da Batalha da Mente

Joyce Meyer



Continua Capítulo 13




















sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Uma mente julgadora, crítica e desconfiada - Cap.13






SEMEANDO E COLHENDO JULGAMENTO


Não julgueis [ e critiqueis e condeneis os outros], para que não sejais julgados [e criticados e condenados vós mesmos].

Pois, com o critério com que julgardes [e criticardes e condenardes os outros], sereis julgados [e criticados e condenados]; e, [de acordo] com a medida com que tiverdes medido [os outros], vos medirão também.

Mateus 7.1-2


Essa passagem diz-nos claramente que colheremos o que plantarmos (Gálatas 6.7). Semear e colher não se aplica apenas às áreas agrícolas e financeira, aplicam-se também à área mental. Podemos semear e colher uma atitude da mesma forma que uma plantação ou um investimento.
Um pastor que conheço diz que, quando ele ouve que alguém falou de forma maldosa e com julgamento, ele se pergunta:"Eles estão semeando ou estão colhendo"? Muitas vezes estamos colhendo em nossa vida o que semeamos anteriormente na vida de outra pessoa.
MEDICO, CURA-TE MESMO!
Por que vês [e olhas fixamente] tu o argueiro [minúsculo que está] no olho de teu irmão, porém não reparas [e meditas] nas trave [de madeira] que está no teu próprio [olho]?
Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o [minúsculo] argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?
Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu [próprio] olho e, então, verás claramente para tirar o [minúsculo] argueiro do olho do teu irmão.
Mateus 7.3-5
O diabo ama manter-nos ocupados, julgando mentalmente as falhas dos outros. Dessa forma, jamais vemos ou lidamos com o que está errado em nós.
Não podemos mudar os outros; apenas Deus pode. Não podemos mudar a nós mesmos, mas podemos cooperar com o Espírito Santo e permitir que ele faça a parte dele. O primeiro passo para qualquer liberdade, entretanto, é encarar a verdade que o Senhor está tentando nos mostrar.
Quando temos nossos pensamentos e conversas focados no que está errado com todos os outros, estamos geralmente sendo enganados sobre nossa própria conduta. Portanto, Jesus ordenou que não nos preocupássemos com o que está errado com os outros, quando temos tantos erros com nós mesmos. Permita que Deus lide com você primeiro e, então, você aprenderá a forma bíblica de ajudar seu irmão a crescer em sua caminhada cristã.
O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer
Continua o capítulo 13

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Uma mente julgadora, crítica e desconfiada - Cap.13


ORGULHO : UM PROBLEMA DO "EU"





Digo a cada um dentre vós que não [se valorize nem] pense de si mesmo além do que convém [não tenha uma opinião exagerada de sua própria importância];antes, pense com moderação [avalie sua habilidade com julgamento sóbrio], segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um.
Romanos 12.3







Julgamento e crítica são frutos de um problema mais profundo - orgulho. Quando o "eu" em nós é maior do que deveria ser, ele sempre causará os tipos de problemas que estamos discutindo. A Bíblia repetidamente nos adverte sobre sermos presunçosos.
Sempre que nos superamos em uma área é apenas porque Deus nos deu um presente de graça por isso. Se formos presunçosos ou tivermos uma opinião exagerada de nós mesmos, então isso nos levará a desprezar os outros e a avaliá-los como "menos" do que somos. Esse tipo de atitude ou pensamento é extremamente detestável ao Senhor e abre muitas portas ao inimigo em nossa vida.







TEMOR SANTO







Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falha [ou pecado de qualquer natureza], vós, que sois espirituais [que sois responsivos ao Espírito Santo e controlados por ele], corrigio-o [ e restaurai-o e reintegrai-o sem qualquer senso de superioridade e] com espírito de brandura; e guardai-vos [mantende um olho atento para vós mesmos] para que não sejais também tentados.

Levai [suportai, carregai] as cargas [ e as falhas morais e incômodas] uns dos outros e, assim, cumprireis [ e obsevareis perfeitamente] a lei de Cristo [o Messias e completareis o que está faltando em obediência a ele]

Porque, se alguém [qualquer pessoa] julga ser alguma coisa [muito importante para condescender em sustentar o fardo de outrem], não sendo nada, a si mesmo se engana [e se ilude].
Gálatas 6.1-3





Um exame cuidadoso dessa passagem revela-nos rapidamente como devemos agir em relação à fraqueza que obsrvamos nos outros. Ele demonstra a atitude mental que devemos manter dentro de nós mesmos. Devemos ter um "temor santo" do orgulho e devemos ser cuidados com o julgar os outros ou ser críticos com eles.







QUEM SOMOS NÓS PARA JULGAR?







Quem és tu que julgas [e censuras] o servo alheio? Para o seu próprio senhor está em pé ou cai; mas estará em pé [e será sustentado, porque o Senhor [o mestre] é poderoso para o suster [e fazê-lo ficar em pé].
Romanos 14.4



Pense desta forma; digamos que sua vizinha viesse à sua porta e começasse a instruí-lo sobre o que seus filhos deveriam vestir para a escola e quais as matérias ela achava que eles deveriam fazer. Como você reagiria? Ou suponha que sua vizinha lhe dissesse que ela não gostava do jeito como sua empregada (com a qual você está muito satisfeita) limpava a casa. O que você diria à sua vizinha?
Esse é exatamente o ponto que esta passagem está assinalando.Cada um de nós pertence a Deus, e mesmo que tenhamos fraquezas ele é capaz de nos fazer ficarem em pé e nos justificar. Damos conta a Deus, não uns aos outros; portanto, não devemos julgar um ao outro de maneira crítica.
O daibo fica muito ocupado designando demônios para colocar pensamentos de julgamento e de crítica na mente das pessoas. Eu posso me lembrar de quando era divertido para mim sentar-me em um parque ou no shopping e simplesmente olhar todas as pessoas passarem enquanto eu formava uma opinião mental de cada uma delas: a roupa, o estilo de cabelo, a companhia, etc. Agora, não podemos nos impedir de ter opiniões, mas não precissamos expressá-las. Creio que podemos até mesmo crescer a ponto de não termos tantas opiniões, e aquelas que tivermos não sejam de natureza crítica.
Frequentemente digo a mim mesma: "Joyce, não é da sua conta". Um grande problema é tramar em sua mente quando você reflete sobre sua opinião até que ela se torne um julgamento. Quanto mais você pensa sonre o problema, mais ele cresce até que você começa a expressá-lo aos outros ou mesmo àquele que você está julgando. Então ele se tornou explosivo e tem a habilidade de fazer um enorme mal na área do realcionamento, como também na área espiritual. Você pode ser capaz de evitar problemas futuros para você mesmo simplesmente aprendendo a dizer "Não é da minha conta".
Julgamento e crítica eram desenfreados em minha família, então, "cresci com eles",por assim falar. Quando esse é caso - como pode ser com você -, é como tentar jogar bola com uma perna quebrada. Eu estava tentando "jogar bola" com Deus; eu queria fazer as coisas do jeito dEle, pensar e agir do jeito dEle,mas não podia. Levou anos de infelicidade até que eu aprendesse sobre as fortalezas em minha mente com as quais eu precisava lidar antes que meu comportamento pudesse mudar

.



Lembre-se suas ações não vão mudar até que sua mente mude.





Mateus 7.1-6 é uma passagem bíblica clássica sobre esse assunto de julgamento e crítica. Quando você estiver tendo problema com a sua mente nessa área, leia essas e outras passagens. Leia-as, leia-as de novo em voz alta e use-as como armas contra o diabo, que está tentnado construir uma fortaleza em sua mente. Ele pode estar operando por meio de uma fortaleza que já está lá por muitos anos.
Vamos estudar essa passagem, eu vou comentá-la parte por parte enquanto a percorremos.




O Campo de Batalha da Mente

Joyce Meyer

Continua o Capítulo 13

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Uma mente julgadora, crítica e desconfiada - Cap.13



Não julgueis, para que não sejais julgados.
Mateus 7.1

Muitos tormentos vêm à vida das pessoas por causa de atitudes de julgamento, de crítica e de desconfiança. Muldidões de relacionamentos são destruídos por esses inimigos. Uma vez mais a mente é o campo de batalha.
Pensamentos - apenas "eu penso" - podem ser a ferramenta que o diabo usa para manter uma pessoa solitária. As pessoas não gostam de estar perto de alguém que precisa dar uma opinião sobre tudo.
Para ilustrar, certa vez conheci uma mulher cujo marido era um empresário muito rico. Ele era geralmente muito calmo, e ela queria que ele falasse mais. Ele sabia bastante sobre muitas coisas. Ela ficava zangada com ele quando eles estavam em um grupo de pessoas e alguém começava uma conversa sobre um assunto com o qual seu marido poderia ter contribuído inteligentemente. Ele poderia ter-lhes dito tudo o que sabia, mas não o fazia.
Certa noite, depois que ele e sua esposa haviam retornado de uma festa, ela o repreendeu dizendo: "Por que você disse àquelas pessoas o que você sabia sobre o que eles estavam converssando? Você só ficou lá e agiu como se não soubesse coisa alguma"!
"Eu já sei o que sei", ele respondeu. "Tento ficar quieto e ouvir, assim eu posso descobrir o que os outros sabem".
Entendi que era exatamente por isso que ele era rico. Ele também era sábio! Poucas pessoas conseguem riqueza sem sabedoria. E poucas pessoas têm amigos sem usar sabedoria em seus relacionamentos.
Ser rápido para julgar, ser opiniático e ser crítico são, com certeza, três maneiras de ver um relacionamento se dissolver. Satanás, com certeza, quer que sejamos rejeitados, então ele ataca nossa mente nessas áreas. Este capítulo, espero, nos ajudará a reconecer padrões errados de pensamento como também a aprender como lidar com a dúvida.

O JULGAR DEFINIDO

No dicionário Expositivo das Palavras do Novo Testamento, de Vine, uma das palavras gregas traduzidas como julgamento é parcialmente definida como "uma decisão sobre as faltas dos outros" e contém um referência cruzada à palavra "condenação". De acordo com a mesma fonte, uma das palavras gregas traduzidas como julgar é parcialmente definida como "formar uma opinião" e contém uma referência cruzada à palavra "senteça".
Deus é o único que tem o direito de condenar ou sentenciar, portanto, quando fazemos um julgamento sobre alguém, estamos de certo modo, nos colocando como Deus na vida dessa pessoa.
Não sei sobre você, mas isso coloca um pequeno "medo divino" em mim. Sou bastante ousada, mas não estou interessada em tentar ser Deus! essas áreas foram, no passado, um problema sério em minha personalidade, e acredito que serei capaz de dividir alguma coisa que Deus tem me ensinado que o ajudarão.
Crítica, opinões e julgamento parecem ser parentes, então vamos discuti-los juntos como um problema gigante.
Eu era crítica porque sempre parecia ver o que estava errado em vez de ver o que estava certo. Algumas pesonalidades são mais propensas a essa falha do que outras. Alguns tipos de personalidades mais joviais não querem ver nada, exeto as coisas "felizes e divertidas" da vida, então eles não prestam muita atenção nas coisas que poderiam arruinar seu prazer. A personalidade mais melancólica ou a personalidadae controladora frequentemente vê o que é errado primeiro; geralmente as pessoas com esse tipo de personalidade são generosas em compartilhar suas opiniões negaticas e pontos de vista com os outros.
Devemos perceber que temos nossa própria maneira de ver as coisas. Gostamos de dizer às pessoas o que pensamos, e esse é o ponto - o que eu penso pode ser certo para mim, mas não necessariamente certo para você, e vice-versa. Com certeza sabemos que "não roubarás" é certo para todos , mas aqui estou falando de milhares de coisas que encontramos todo o dia que não são necessáriamente nem certas nem erradas, mas são simplesmente escolhas pessoais. Eu poderia acrescentar que essas são escolhas que as pessoas têm direito de fazer por conta própria, sem interferência externa.
Eu e meu marido somos extremamente diferentes em nosso enfoque sobre muitas coisas. Decorar uma casa seria uma dessas coisas. Não é que não gostemos de qualquer coisa que o outro escolher, mas, se sairmos para fazer compras de coisas de casa juntos, sempre parece que dave gosta de uma coisa e eu de outra. Por que? Simplesmente porque somos duas pessoas diferentes. A opinião dele é tão boa quanto a minha, e a minha é tão boa quanto a dele; elas são simplesmente diferentes.
Levou anos para que eu entendesse que não havia nada errado com Dave só porque ele não concordava comigo. E, claro, geralmente eu o deixava saber que achava que havia alguam coisa errada com ele por não compartilhar minha opinião. Obviamente minha atitude causou muito atrito entre nós e machucou nosso relacionamento.

O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer

Continua Capítulo 13

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Uma mente ansiosa e preocupada - Capítulo 12 - Cont.


PREOCUPÃÇÃO, PREOCUPAÇÃO, PREOCUPAÇÃO
Desperdicei anos da minha vida me preocupando com coisas sobre as quais não podia fazer nada. Gostaria de ter aqueles anos de volta e ser capaz de encará-los de maneira diferente. Entretanto, uma vez que você tenha gasto o tempo que Deus lhe deu, é impossível consegui-lo de volta e fazer as coisas de um jeito diferente.
Meu marido, por outro lado, jamais se preocupou. Houve um tempo em que ficava zangada com ele porque ele não se preocupava comigo. - e se juntava a mim para falar sobre todas as possibilidades sombrias se Deus não se fizesse presente e satisfizesse nossas necessidades. Sentava-me na cozinha, por exemplo, e despejava as contas e talões de cheques, ficando descontrolada naquele momento, porque as contas eram mais do que o dinheiro. Dave ficava no cômodo próximo brincando com as crianças, vendo televisão enquanto elas pulavam-lhe nas costas e punham-lhe rolos no cabelo.
Lembro-me de lhe ter dito em tom desagradável: "Por que você não vem aqui e faz alguma coisa em vez de ficar brincando enquanto tento resolver esta bagunça"! Quando ele respondia com "O que você quer que eu faça?" jamais podia pensar em outra coisa; deixava-me irritada o fato de que ele oussasse se divertir enquanto eu estava enfrentando uma situação financeira tão desesperadora.
Dave me acalmava lembrando-me de que Deus tinha sempre satisfeito nossas necessidades, que nós estávamos fazendo nossa parte (que era dando o dízimo, ofertas, orando e confiando) e que o Senhor continuaria a fazer a parte dele. Devo esclarecer que Dave estava confiando enquanto eu estava me preocupando. Ia para a sala com ele e as crianças, e um pouquinho mais tarde os pensamentos voltavam a se mover em minha mente: "Mas o que vamos fazer? Como vamos pagar essas contas? e se..."
E, então, veria todos esses desastres na tela de cinema da minha imaginação - execusão da hipoteca, apreensão do carro,embaraço na frente de parentes e amigos se tivéssemos de pedir ajuda financeira, e assim por diante. Você já assistiu a esse "filme" ou teve todos esses tipos de pensamentos de resolvendo em sua mente contantemente? Claro que sim, do contrário você, provavelmente, não estaria lendo esse livro.
Depois de acolher os pensamentos que o diabo estava me oferecendo por uns instantes, voltava para a cozinha, pegava todas as contas, a calculadora e o talão de cheques e comoçava toda a confusão outra vez. Quanto mais fazia, mais irritada ficava. Então, repetia a mesma cena! Gritava porque Dave e as crianças estavam se divertindo enquanto eu estava carregando toda a "responsabilidade"!
Na verdade, o que estava experimentando não era responsabilidade, era cuidado - algo que Deus havia me dito especificamente para lançar sobre Ele.
Olho para trás e vejo que desperdicei todas aquelas noites que Deus me deu nos primeiros anos do meu casamento. O tempo que Ele nos dá é um precioso presente. Mas eu o dei ao diabo. Seu tempo e seu mesmo, Use-o com sabedoria; você não passará por esse caminho outra vez.
Deus satisfaz todas as nossas necessidades, e ele o fez de diferentes maneiras. Ele jamais nos desaponta - uma única vez sequer. Deus é fiel
NÃO SE PREOCUPE - CONFIE EM DEUS
Seja a vossa vida [seu caráter ou disposição moral] sem avareza [sem amor ao dinheiro, incluindo ganância, avidez, luxúria e desejo ardente de posses terrenas). Contentai-vos com as coisas que tendes [circunstâncias e possos]; porque ele [ o próprio Deus] tem dito: De maneira alguma deixarei [nem te falharei, nem te deixarei sem suporte], nunca ,jamais [nunca, nunca, nunca em qualquer nível te deixarei sem ajuda] te abendonarei [nem desapontarei, nem relaxarei a minha mão sobre ti]![ Com toda certeza não!]
Hebreus 13.5
Essa é uma exelente passagem a ser usada para encorajar a você mesmo quando tiver preocupação sobre se Deus se fará presente ou não e se satisfará suas necessidades.
Nessa passagem o Senhor está nos avisando que não precisamos ter nossa mente no dinheiro, imaginando como tomaremos conta de nós, porque Ele tomará conta dessas coisas por nós. Ele prometeu nunca falhar e nunca nos abandonar.
Faça a sua parte, mas não tente fazer a parte de Deus. A carga é muito pesada para carregar - e, se você não for cuidadoso, você se quebrará sob o peso dela.
Não se preocupe. Confia (inclina-te sobre, acredita, tem confiaça) no Senhor e faze o bem; [então] habita na terra e alimenta-te da verdade [e serás verdadeiramente alimentado].
Salmos 37.30

O Campo de Batalha da Mente
Joyce Meyer
Fim do capitulo 12.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Uma mente ansiosa e preocupada - Capítulo 12 - Cont.



O DESCANSO DE DEUS


Ah! Nosso Deus, acaso, não executarás tu o teu julgamento contra eles? Porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, enão sabemos nós o que fazer; porém os nossos olhos estão postos em ti.

2 Cronicas 20.12


Amo esse versículo! O povo a quem ele se refere havia antingido o ponto de perceber três coisas como certas:

1.Eles não tinham poder contra os seus inimigos.

2.Eles não sabiam o que fazer.

3.Eles precisavam ter seus olhos fixos em Deus.

Nos versos 15 e 17 da mesma passagem, vemos o que o Senhor disse quando eles atingiram essa percepção e, de boa vontade, admitiram diante de Deus:

... Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus...

Neste encontro, não tereis que pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará...

Qual é a nossa posição? É a de permanecer em Jesus e encontrar descanso de Deus. É a de esperar no Senhor continuamente, com os olhos fixos nele, fazendo o que ele nos direciona a fazer e, por outro lado, tendo o "temor reverente" de nos movermos na carne.

No que diz respeito ao descanso de Deus, gostaria de dizer isto: não há " o descanso de Deus" se, oposição.

Para ilustrar, compartilho com você uma história que ouvi certa vez, emvolvendo dois artistas a quem pediram que pintassem quadors da paz da maneira como eles a percebiam. Um pintou um lago parado, calmo, bem atrás das montanhas. O outro pintou uma cachoeira impetuosa e espumejante sobre a qual se inclinava uma árvore com um pássaro repousando em um ninho em um de seus galhos.
Qual delas verdadeiramente retrata a paz? A segunda, porque não há paz sem oposição. O primeiro quadro representa estagnação. A cena representada pode ser serena; uma pessoa poderia ser motivada a ir lá para se convalecer. Ela pode oferecer uma bela imagem, mas não retrata "o descanso de Deus".
Jesus disse: Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou [ e dou como herança]; não vo-la dou como o mundo dá[...] (João 14.27). Sua paz é espiritual, e seu descanso é aquele que funciona durante a tempestade - não na ausência dela. Jesus não veio para remover toda a oposição da nossa vida, antes pelo contrário veio para nos dar um enfoque diferente das tempestades da vida. Devemos tomar sobre nós o seu jugo e apreder dEle ( Mateus 11.29). Isso significa que devemos aprender seus caminhos para enfrentar a vida da mesma maneira que Ele enfrentou.
Jesus não se preocupava, e nós também não temos de nos preocupar!
Se você está esperando não ter nada com que se preocupar para parar de se preocupar, então, provavelmente, eu devesse lhe dizer que você terá de esperar um longo tempo, porque esse tempo pode jamais chegar. não estou sendo negativa, estou sendo honesta.!
Mateus 6..34 sugeriu que não nos preocupássemos com o dia de amanhã porque cada dia terá as suas próprias e suficientes preocupações. O próprio Jesus disse isso, e Ele certamente não era negativo. Estar em paz, desfrutar o descanso de Deus em meio à tempestade dá mais glória ao Senhor porque prova que seu método funciona.
O Campo de batalha da Mente
Joyce Meyer
continua capítulo 12














domingo, 17 de janeiro de 2010

Uma mente ansiosa e preocupada - Capítulo 12 - Cont.



BUSQUE A DEUS, NÃO AOS PRESENTES






Porque os gentios (pagãos) é que procuram [diligentemente e desejam ardentemente] todas as coisas; pois vosso Pai celeste que necessitais de todas elas.


Buscai [tende como objetivo e esforçai-vos], pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça [ a sua maneira de fazer e ser correto, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.



Mateus 6.32.33






É claro que os filhos de Deus não devem ser como o mundo! O mundo busca coisas, mas nós buscamos ao Senhor. Ele nos prometeu que, se fizermos isso, ele nos acrescentará as coisas que sabe de que precisamos.


Devemos aprender buscar a face de Deus, e não a sua mão!Nosso Pai celeste se deleita em dar aos seus filhos boas coisas, mas apenas se não estivermos atrás delas.


Deus sabe do que precisamos antes que O peçamos. Se simplesmente fizermos nossos pedidos conhecidos dEle (Filipenses 4.6), ele os tornará realidade em seu tempo próprio e adequado. A preocupação não nos ajudará de jeito nenhum. Na verdade, ela retardará nosso progresso.






VIVA UM DIA DE CADA VEZ






Portanto, não vos inqueiteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados [e ansiedades]; basta ao dia o seu próprio mal.



Mateus 6.34






Gosto de descrever a preocupação ou a ansiedade como gastar o dia de hoje estando saber como será o de amanhã. Vamos aprender a usar o tempo que deus nos tem dado para aquilo que ele planejou.



A vida é para ser vivivida - aqui e agora!






Infelizmente, muito poucas pessoas sabem como viver cada dia em plenitude. Mas você pode ser um desses. Jesus disse que Satanás, o inimigo da nossa alma, vem para roubar a sua vida (João 10.10). Não permita que ele faça isso nunca mais! Não gaste o dia de hoje preocupando-se sobre o amanhã. Você tem coisas suficientes acontecendo hoje; isso precisa de toda a sua atenção. A graça de Deus está sobre você para que você lide com qualquer necessidade sua hoje, mas a graça de amanhã não virá antes que o amanhã chegue - então, não desperdice o dia de hoje!




NÃO ANDE ANSIOSO NEM SE INQUIETE




Não andeis [inquieto nem] ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica (pedidos específicos), com ações de graças [continuai a fazer seus desejos serem conhecidos de Deus).


Filipenses 4.6




Esse é o outro versículo para se ter em mente quando vier uma "ataque de preocupação". Recomendo enfaticamente falar a Palavra de Deus com a boca. É uma espada de dois gumes que precisa ser brandida contra o inimigo. (Hebreus 4.12; Efésios 6.17). Uma espada na sua bainha não fará bem algum durante um ataque.


Deus nos deu a sua Palavra, use-a! Aprenda versículos como esses, e quando o inimigo atacar cotra -ataque-o com a mesma arma que Jesus usou: A Palavra!




LANCE FORA A RACIONALIZAÇÃO




Refutando [argumentos e teorias e racionalizações e] toda altivez [e superioridade] que se levante contra o [verdadeiro] conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo (o Messias, o Ungido).


2 Coríntios 10.5




Quando os pensamentos que lhe estão sendo oferecidos não concordam com a Palavra de Deus, a melhor maneira para calar a boca do diabo é repetir a Palavra.


A Palavra, saindo da boca de um crente, com fé para respaldá-la é mais efetiva arma que pode ser usada para ganhar a guerra contra a preocupação e a ansiedade.






Quando o inimigo tenta nos dar um problema, temos o privilégio de poder lançá-lo sobre Deus. A palavra "lançar", na verdade, significa jogar ou arremessar. Podemos jogar ou arremessar nossos problemas para Deus e, creia-me, ele pode pegá-los. Ele sabe o que fazer com eles.


Essa passagem nos permite saber que humilhar-se significa não se preocupar. A pessoa que se preocupa ainda pensa que ela pode, de alguma maneira, resolver seu próprio problema. A preocupação é a mente correndo de um lado para o outro, tentando encontrar uma solução para sua situação. O homem orgulhoso é cheio de si, enquanto o homem humilde é cheio de Deus. O homem orgulhoso se preocupa; o homem humilde espera.


Apenas Deus pode nos libertar, e Ele quer que saibamos disso, para que em cada situação nossa primeira resposta seja nos apoiarmos nEle e entrarmos no seu descanso.




O Campo de Batalha da Mente


Joyce Meyer




Continua o capítulo 12

sábado, 16 de janeiro de 2010

Uma mente ansiosa e preocupada - Capítulo 12 - Cont.


NÃO É A VIDA MAIOR DO QUE AS COISAS?


Por isso, vos digo: não andeis [perpetuamente] ansiosos (inquietos e preocupados) pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida [qualitativamente] mais do que o alimento, e o corpo, mais [muito acima e mais exelente] do que as vestes?

Mateus 6.25


O propósito da vida é ser de tão alta qualidade que a desfrutemos imensamente. Em João 10.10, Jesus disse: O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham [e desfrutem da] vida e a tenham em abundância [completa, até que transborde]. Satanás tenta nos roubaar essa vida de muitas maneiras - uma delas é por meio da preocupação.

Mateus 6.25 nos ensina que não há nada na vida com o que nos devemos preocupar - nenhum aspecto dela! A qualidade de vida que Deus providenciou para nós é suficientemente grande para incluir todas essas coisas, mas, se nos preocuparmos sobre as coisas, então as perderemos, como também a vida que Deus quis que tivéssemos.


NÃO É VOCÊ MAIS VALIOSO DO QUE UM PASSARINHO?


Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, mas ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis muito mais do que as aves?

Mateus 6.26


Poderia fazer bem a todos nós gastarmos algum tempo observando as aves. Foi isso que nosso Senhor nos disse para fazer.

Se não todo dia, pelo menos de vez em quando precisamos tirar um tempo para observar e lembrar a nós mesmos como nossos amigos de penas são bem cuidados. Eles, literalmente, não sabem de onde virá sua próxima refeição; apesar disso, jamais vi um pássaro sentado num galho de árvore tendo um esgotamento nervoso por causa da preocupação.

O que o Mestre que dizer aqui é, na verdade, muito simples: Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?

Mesmo que esteja lutando com uma auto-imagem pobre, com certeza você pode acreditar que é mais valioso do que um pássaro e ver como seu Pai celestial toma conta deles tão bem.


O QUE VOCÊ GANHA POR SE PREOCUPAR?


Qual de vós, [por se preocupara e] por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado [ a sua estatura ou] ao curso da sua vida?

Mateus 6-27


O ponto principal rapidamente entendido é que a preocupação é inútil. Não realiza nada de bom. Se é assim, então por que preocupar-se, orque ficar ansioso?


POR QUE FICAR ASSIM TÃO ANSIOSO?


E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo[ e aprenda, inteiramente como eles crescem]: eles não trabalham, nem fiam.

Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória (exelência, dignidade e graça), se vestiu como qualquer deles.

Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que ho je existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais [vestirá] a vós outros, homens de pequena fé?

Mateus 6.28-30


Usando a ilustração de uma de suas criações, o Senhor assinala que se uma flor, que nada faz, pode ser tão bem cuidada e é tão bonita que exede em brilho até mesmo a Salomão com toda a sua magestade, então, com certeza, podemos acreditar que receberemos cuidado e provisão.


PORTANTO, NÃO SE PREOCUPE

NEM FIQUE ANSIOSO!


Portanto, não vos inqueiteis [nem fiqueis ansiosos], dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?


Gosto de a mpliar esse versículo mais um pouco e incluir mais uma pergunta: "O que vamos fazer?"

Penso que Satanás envia demônios, cujo trabalho é fazer nada mais do que repetir essa frase nos ouvidos do crente o dia inteiro. Eles disparam perguntas difíceis, e o crente gasta seu preciso tempo tentando encontrar uma resposta. O diabo está constantemente deflagrando guerra no campo de batalha da mente, esperando enganar os cristãos em lutas longas, infindáveis e custosas.

Note aquela parte do versículo 31 em que o Senhor nos instrui a não nos preocuparmos nem ficarmos ansiosos. Lembre-se de que a boca fala aquilo de que o coração está cheio (Mateus12.34). O inimigo sabe que se ele puder deixar suficientes coisas errads circulando em nossa mente, elas finalmente acabarão saindo da nossa boca. Nossas palavras são importante porque elas confirmam nossa fé - ou, em alguma ocasiões, nossa falta de fé.


O Campo de Batalha da Mente

Joyce Meyer

Continua o Cap 12




sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Uma mente ansiosa e preocupada - Capítulo 12 -



Deixa a ira, abandona o furor; não te impacientes.



Salmos 37.8






A ansiedade e a preocupação são ataques à mente que pretendem nos desviar a atenção de servir ao Senhor. O inimigo também usa esses tormentos para empurrar nossa fé para baixo; assim ela não pode aumentar e nos ajudar a viver em vitória.



Algumas pessoas têm tal problema com a preocupação que poderia até mesmo ser dito que elas são viciadas em preocupação. Se elas não têm alguma coisa pessoal com o que se preocupar, elas se preocurarão com a situação de outra pessoa. Eu tinha esse problema, por isso estou bem qualificada para descrevê-lo.



Como estava constantemente me preocupando a respeito de alguma coisa, jamais desfrutei a paz pela qual Jesus morreu para que a tivesse.



É absolutamente impossível preocupar-se e viver em paz ao mesmo tempo.



Paz não é alguma coisa que pode ser colocada em uma pessoa; é um fruto do Espírito (Gálatas 5.22), e fruto é o resultado de permanecer na videira (João15.4). Permanecer refere-se a entrar no "descanso de Deus", relatado no Capítulo 4 de Hebreus, como também em outros lugares da Palavra de Deus.



Há diversas palavras na Bíblia que se referem à preocupação, dependendo da tradução que você estiver lendo. A versão King James não usa a palavra "preocupação". Além de "não te impacientes" (Salmos 37.8), outras frases padrão usadas para nos advertir contra a preocupação são: "não andeis ansiosos" (Mateus 6.25), "não andeis ansiosos por coisa alguma" (Filipenses 4.6) e "lançando ...toda a vossa ansiedade" (1 Pedro 5.7). Geralmente uso a Amplified Bible, que inclui diversas versões diferentes e outras frases que se referem ao assunto. Para simplicficar o ensino restante deste capítulo, vou me referir a essa situação como "preocupação"






A PREOCUPAÇÃO DEFINIDA






O dicionário Webster define preocupação como se segue "- vi.1. Sentir-se apreensivo ou inquieto...- vt.1. Fazer alguém sentir-se ansioso, angustiado ou inquieto...-s.2. Uma fonte de inquietação contínua". Também ouvi essa palavra definida como atormentar-se com pensamentos pertubadores.



Quando vi a parte sobre atormentando-se com pensamentos pertubadores, decidi, imediatamente, que sou mais esperta do que isso. Acredito que cada cristão é. Penso que os crentes têm mais sabedoria além de sentar-se por aí e atormentar-se.



A preocupação, certamente, jamais torna qualquer coisa melhor, então por que não desistir dela?



Outra parte da definição também me esclareceu: "Agarrar pela garganta e com dentes e sacudir ou lacerar, como um animal faz a um outro, ou fustigar por meio de repetidas mordidas ou dentadas".



Refletindo nessa definição, fiz a seguinte correlação - o diabo usa a preocupação para fazer conosco presisamente o que está descrito acima. Quando temos uma luta com a preocupação, mesmo por umas poucas horas, é exatamente assim que nos sentimos - como se alguém nos tivesse apanhado pela garganta e nos sacudido até ficarmos completamente exaustos e dilacerados. A repetição de pensamentos que vêm e não nos deixam é como as repetidas mordidas e dentadas descritas na definição.



A preocupação é definitivamente um ataque de Satanás à mente. Há certas coisas que o crente é instruído a fazer com sua mente e que o inimigo quer se assegurar de que elas jamais sejam feitas. Consequentemente, o diabo tenta manter a arena mental suficientemente ocupada com os tipos errados de pensamentos de forma tal que a mente nunca se liberta para ser usada para o propósito para o qual Deus a planejou.



Discutiremos as coisas certas a fazer com a mente no próximo capítulo, mas agora deixe-me continuar nosso estudo sobre a preocupação até termos a revelação total de quão inútil ela realmente é.



Mateus 6.25-34 é uma exelente passagem para ler quando sentirmos um "ataque de preocupação" vindo. Vamos examinar cada um desses versos separadamente para ver o que o Senhor está nos dizendo sobre esse assunto vital.






O Campo de Batalha da Mente



Joyce Meyer



Continua o capítulo 12.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Uma mente duvidosa e descrente - Capítulo 11 - continuação



INCREDULIDADE É DESOBEDIÊNCIA





E quando chegaram para junto da multidão, aproximou-se dele um homem, que se ajoelhou e disse:Senhor, compadece-te de meu filho, porque é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e outras muitas na água.

Apresentei-o a teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo.

Jesus exclamou: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco? Até quando nos sofrerei? Trazei-me aqui o menino.

E Jesus repreendeu o demônio, e este saiu do menino; e, desde aquela hora, ficou o menino curado.

Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular: Por que motivo não pudemos nós expulsá-lo?

E ele lhes respondeu: Por causa da pequenez da vossa fé...


Mateus 17.14-20





Lembre-se: a descrença conduz à desobediência.

Talvez Jesus tenha ensinado aos seus discípulos certas coisas a fazer naqueles casos, e descrença os tenha levado a desobedecer-Lhe; portanto, eles foram malsucedidos.

De qualquer forma, o ponto é que a descrença, como a dúvida, impedirá que façamos o que Deus nos chamou e ungiu para realizar na vida. Isso também nos impedirá de experimentar a sensação de paz que Ele quer que desfrutemos ao encontrarmos descanso para nossa alma nEle (Mateus 11.28-29).




O DESCANSO SABÁTICO





Esforcemo-nos [sejamos zelosos e nos empenhemos], pois, por entrar naquele descanso [de Deus, para conhecê-lo e experimentarmos por nós mesmos], a fim de que ninguém caia [nem pereça], segundo o mesmo exemplo de [descrença e] desobediência [na qual caíram os que estavam no deserto].

Hebreus 4.11





Se você ler todo o capítulo 4 da carta aos Hebreus, verá que ele está falando sobre um repouso sabático que está a disposição do povo de Deus. Debaixo da Antiga Aliança, o sábado era observado como um dia de repouso. Debaixo da Nova Aliança, esse descanso sabático aqui referido é um lugar de descanso espiritual. É um privilégio de cada crente recusar preocupar-se ou ter ansiedade. Como crentes, podemos entrar no descanso de Deus.

Uma observação cuidadosa de Hebreus 4.11 revela que só entraremos naquele descanso crendo, e seremos privados dele pela descrença e pela desobediência. A desobediência nos manterá em um "viver desértico", mas Jesus providenciou um lugar permanente de descanso, que pode ser habitado apenas se vivermos na fé.





VIVENDO DE FÉ EM FÉ





Visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: o justo viverá por fé.


Romanos 1.17





Lembro-me de um incidente que pode ilustrar esse ponto com muita clareza. Certa noite, estava andando pela minha casa tentando fazer alguns serviços domésticos e estava muito infeliz. Nãõ tinha nenhuma alegria - não havia paz no meu coração. Ficava perguntando ao Senhor: "O que está errado comigo?" Frequentemente me sentia daquela maneira e, sinceramente, queria saber qual era o problema. Estava tentando seguir todas as coisas que estava aprendendo em minha caminhada com Jesus, mas alguma coisa certamente parecia estar faltando.

A essa altura o telefone tocou. Enquanto estava conversando, dava uma olhada em uma caixa de cartões de versículos bíblicos que alguém me havia mandado. Na verdade, não estava olhando para nenhum deles, apenas mexendo neles enquanto estava ao telefone. Quando desliguei, decidi escolher um ao acaso para ver se conseguiria algum encorajamento.Tirei Romanos 15.13: E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer [através da experiência da vossa fé], para que sejais ricos [e abundantes] de esperança no poder do Espírito Santo.

Eu vi!

Todo o meu problema era a dúvida e a descrença. Estava fazendo de mim mesma infeliz por acreditar nas mentiras do diabo. Estava sendo negativa. Não poderia ter alegria e paz porque não estava crendo. É impossível ter alegria e paz e viver em descrença.


Tome a decisão de acreditar em Deus e não no diabo!


Aprenda a viver de fé em fé. De acordo com Romanos 1.17,essa é a maneira como a justiça de Deus é revelada. O Senhor precisou revelar-me que, em vez de viver de fé em fé, eu vivia frequentemente de fé em dúvida e descrença. Então voltava à fé por pouco e mais tarde retornava à dúvida e à descrença. Ia para trás e para a frente, de uma à outra. Por isso estava tendo tanto problema e infelicidade em minha vida.

Lembre-se de acordo com Tiago 1.7-8, o homem de ânimo dobre é instável em todos os seus caminhos e jamais recebe o que ele quer do Senhor. Decida que você não será de ânimo dobre, não viva na dúvida!

Deus tem uma grande vida planejada para você. Não permita que o diabo a roube com mentiras, em vez disso,....[refutai argumentos e teorias e racionalismo] e toda altivez que se levante contra o [verdadeiro] conhecimento de Deus,... levando cativo todo pensamento [e propósito] à obediência de Cristo [o Messias, o Ungido]. (2 Coríntios 10.5).





O Campo de Batalha da Mente


Joyce Meyer


Fim do capítulo 11